terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Matemática: recursos excelentes e actuais (Ontário-Canadá)

Ver AQUI


 
Expert Panel Reports / Guides to Effective Instruction
Note: Owing to copyright restrictions on online use, some material has had to be blanked out of the PDFs. In addition to those exclusions, the PDF files may contain other small discrepancies. The printed documents released to schools by the Ministry of Education are the complete and final versions of the Guides.
A Guide to Effective Instruction in Math, Kindergarten to Grade 3:
Number Sense and Numeration
A Guide to Effective Instruction in Math, Kindergarten to Grade 3:
Geometry and Spatial Sense
.






(partilhado por Teresa Marques)

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

nrich maths org

http://nrich.maths.org/public/



Alguns recursos com interesse (online)
Breve exploração...
Pequenos destaques:
http://nrich.maths.org/forteachers

Gostei deste artigo... para professores
http://nrich.maths.org/public/viewer.php?obj_id=5784
com ligação à tarefa interactiva que está AQUI:
http://nrich.maths.org/2293
Pareceu-me uma tarefa rica.... (applet online)

Outros exemplos de actividades interactivas online
.
(Também oferece tarefas para fazer sem computador).
Boas explorações!
Partilhado por Teresa Marques AQUI

terça-feira, 8 de setembro de 2009

As fracções e o desenvolvimento do sentido do número racional

Li há tempos um artigo na Revista Educação e Matemática 84 e hoje fui à procura dele.Tinha ideia de ter gostado de o ler e precisava de o reencontrar (experimentação do novo programa, tópicos a incluir já no 5.º ano, enquanto o NPMEB não abranger todos os anos de escolaridade... e busca de recursos para depois partilhar com formandos).

Como não sabia em que revista foi (tenho muitas)... fui para a internet, claro.


Encontrei logo ligação para uma versão digital e assim posso partilhar.


Mora AQUI



Partilhado por Teresa Marques

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Com o objectivo de continuar a promover a ciência e tecnologia junto da comunidade escolar, a Ciência Viva – ANCCT apresenta a linha de apoio a projectos Ciência na Hora – Microprojectos Ciência Viva. A Ciência na Hora tem como objectivo incentivar o desenvolvimento de métodos de ensino e abordagens pedagógicas inovadoras para o ensino experimental das ciências, garantindo um papel activo dos alunos no desenvolvimento das actividades.Esta iniciativa pretende ainda continuar a reforçar as ligações entre as escolas e as instituições científicas, reconhecendo os benefícios que têm sido gerados para ambos através dos projectos Ciência Viva.As candidaturas à Ciência na Hora decorrem entre 23 de Abril e 23 de Maio de 2009, e são exclusivas para estabelecimentos de ensino básico e secundário.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Portal Casa das Ciências

Vai decorrer no dia 18 de Maio de 2009, na Fundação Calouste Gulbenkian, a apresentação pública do Portal Casa das Ciências.

A Casa das Ciências é um projecto organizado pela Fundação Calouste Gulbenkian que visa a criação e manutenção de um portal de apoio aos professores das áreas científicas dos ensinos básico e secundário, que inclui, entre outras valências, materiais sobre Ciências na Natureza, Biologia, Física, Geologia, Matemática, Química e Astronomia. O portal pretende reunir materiais de qualidade que possam ser úteis aos professores. Os materiais são previamente avaliados, por pares, nas perspectivas científica e didáctica e estão organizados por níveis ensino e por disciplina. Todos os materiais têm uma descrição sintética, mas muito completa, do conteúdo e da sua “utilização pedagógica” (em que disciplina, tema e como podem ser utilizados). Incluem ainda informações sobre a maior ou menor interactividade e Links para a página original de onde foram retirados (quando é essa a situação).

Tendencialmente, pretende-se que este seja um portal colaborativo onde os professores disponibilizarão aos seus colegas os materiais que elaboraram para as suas aulas.

As inscrições para a sessão de apresentação do Portal podem ser efectuadas on-line no endereço http://www.casadasciencias.org/ .


Informação Partilhada por Carlos Miguel Santos, grupo 500 - Matemática

terça-feira, 10 de março de 2009

A Matemática... esse(s) problema(s)...

Comecem por ler a IC aqui.

Parece que estamos sempre a bater no mesmo e afinal... é preciso regressar a toda a hora às mesmas coisas.

Se é fácil escolher o caminho menos percorrido? Insistir na actividade de resolução de problemas a par com os necessários procedimentos que os suportam? E tudo com duas sessões semanais de menos do que 90 minutos cada uma em competição permanente com todas as solicitações que sugam os nossos jovens?
Não, não é mesmo nada fácil.
Chega a ser frustrante e desesperante. É um caminho muito penoso. Dá muito trabalho ao professor e nem sempre ajuda à sua auto-estima com tantas dificuldades com que se vai cruzando.
É mais fácil caminhar por entre os procedimentos... eles decoram... mecanizam e vai de ter Bons e Muito Bons se os testes se suportarem apenas, por exemplo, na resolução de expressões numéricas. Eu sei. Sabe bem. O ego fica contentinho. Já recuperei a muito custo uns quantos este ano para esse lado mais simples da Matemática. Mas não é disso apenas que a matemática é feita. Aliás, isso apenas suporta a sua função maior. Se o ego ficar contentinho com tão pouco, não estamos a cumprir a nossa missão nesta disciplina.

Mas, ao mesmo tempo que me chega o desespero em dias como os das últimas semanas, em que ando de volta dos problemas sem os largar e surgem negativas na sequência de Muito Bons, também, aos poucos, se vão verificando alguns progressos.

Não baixo os braços.
É mais difícil assim, bem sei. Mas respeito demais os alunos para lhes exigir menos, colaborando na falsa sensação de que tudo corre bem e que somos todos magníficos a resolver expressões, mas incapazes de ler um enunciado ou aplicar o que temos aprendido recentemente. Se consigo com todos? Não. Mas não me canso de tentar.

Uma coisa é certa.
Não formato cabecinhas (já o disse muitas vezes). Procuro que aos poucos encontrem a compreensão que os levará progressivamente a soluções com maior economia/elegância matemática nos gestos. Continuo a comprovar que estou no caminho certo quando vejo o mesmo problema resolvido pelos alunos de muitas formas diferentes, privilegiando o cálculo ao desenho e até ensaiando, por vezes (como vou sugerindo), a escrita de uma expressão numérica única que traduza a solução.

Mas precisava de tempo de qualidade com menos alunos à frente e mais individualização dos processos de apoio. Não duvido que conseguiria ir bem mais longe. A minha turma de quase trinta alunos está a fazer um percurso complicado... ao qual se acrescentam várias crianças estrangeiras que dominam precariamente o português e algumas portuguesas com domínio também precário da língua e de... outras coisas...
Claro que a solução de sucesso no meu país foi o aumento do número de alunos nas turmas sem terem sequer o direito a redução quando há crianças especiais nelas. E subtrair tempo aos professores para poderem fazer o que realmente deviam andar a fazer.
Aplausos. Muitos aplausos pelas iniciativas que revelam um total desconhecimento do que são os jovens e as escolas no século XXI. Há diferenças... já deram por isso?

Ter um aluno este ano que veio de outra escola, repetindo o 6º com negativa a Matemática, a oferecer-me uma das soluções mais simples e elegantes da turma, no teste de hoje, tem de ser motivo de alegria. Ele, este ano e nesta nova escola, decidiu estar atento e estudar (o maior contributo para o sucesso foi seu, não meu) e deu comigo por acaso: alguém que não os limita aos mínimos para fingir que somos todos o máximo...
Não somos o máximo. Temos de nos esforçar todos os dias: eu e eles.

Para além de alguns progressos, também tenho muitas tarefas complicadas pela frente. Alunos "muito bons" em procedimentos e memória que a uma pergunta do tipo: quantos dias demoram para gastar os 5 litros de leite... respondem... 3,35 litros... Outros excelentes que... reduzem litros a... gramas(?) e até a mm(!)
Não podemos estar a toda a hora a rever todos os conteúdos que ficam para trás... mas habituei-me a trazer para a mesa uma imensidade de coisas ao mesmo tempo, pois é cada vez mais nítida a sensação de que tudo o que não é puxado continuamente para o presente é rapidamente desaprendido e enterrado por milhares de outras coisas que povoam as suas vidas com mais intensidade. As tecnologias e os jogos no centro. A TV também.
É um combate duro de travar nos tempos de hoje.

Não os deixo parar para respirar.
Não me deixo parar a mim para respirar.
Meninos! Mãos à obra! Ainda há muito caminho para ser feito!
A ver se na quinta já levo os testes todos vistos para avançarmos com o esclarecimento de dúvidas e correcções.
(A tese? A tese é nos intervalos deles... nunca eles nos intervalos da tese. O bem público acima do privado... como a política devia ser... pois...)

Para os interessados, deixo aqui alguns dos exemplos de respostas dos alunos, montados sem preciosismos numa apresentação em powerpoint. Porque na partilha se aprende/aprendia muito e porque a escola deixou de ser tempo/ter tempo para a troca de experiências e reflexão).


(Partilhado por Teresa Marques)

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Matemática... em movimento

Procurava eu uma forma de levar os alunos a visualizar melhor a "prova" da afirmação de que "a soma dos ângulos internos de um triângulo é sempre 180º", quando dei com estas animações - destaque para a primeira (poderiam ser programadas em Scratch por alunos...):





E depois com a preciosidade que se segue...

(... foi você que pediu uma revisão de alguns conceitos de trigonometria? Ou um recurso interessante para as aulas? Sim?
Então, delicie-se!)




E não esgota...
Encontrei "na zona Youtube relacionada", mais algumas animações que parecem interessantes...

-------
Na plataforma do Scratch do MIT, existem vários projectos com "tag" trigonometria AQUI:
http://scratch.mit.edu/tags/view/trigonometry

(Alguns são interessantes...)


Partilhado por Teresa Marques

sábado, 31 de janeiro de 2009

Coisas várias...

Ciências da Natureza...
Scratch
Clube
Blogues

AQUI



(partilhado por Teresa Marques)

Problemas e tecnologias variadas...

Um problema...

Tempo... paciência... não impor modelos de resolução... Deixá-los pensar... relacionar... compreender e procurar os seus caminhos...
Corrigir "indicações"... apoiar aqui e ali...

.


Fazer a síntese das várias estradas usadas e reforçar a importância de se encaminharem (quem ainda lá não chegou) para a "elegância" e simplicidade que o cálculo matemático empresta à resolução dos problemas, sem termos de nos suportar sempre "em muletas gráficas de apoio"... importantes, mas para aos poucos irem sendo substituídas por formas de resolução mais eficazes...



Depois dessa aula, na mesma tarde, um aluno recria em Scratch toda a situação.

(Estudar pode ser de tantas formas!)

Scratch Project


Continuaremos as aventuras pelos problemas...


E eu adoro quadros negros, lápis, papel e, também, "outras tecnologias"...



fonte:
AQUI


(Partilhado por Teresa Marques)

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Novo Programa de Matemática...

... volto a recordar.

O Novo Programa de Matemática
(deixei ligação ao lado e deixo aqui)

entrará em vigor em 2009/2010



Um Excelente Ano Novo!


partilhado por Teresa Marques